Paraibano em Destaques Destaque

Goleiro Santos e Furacão: a busca por um ano ainda mais dourado em 2022

Veja matéria

22/12/2021 às 14h55 Atualizada em 08/01/2022 às 02h37
Por: Redação
Compartilhe:
FOTO : Athletico-PR
FOTO : Athletico-PR

 

Quando você teve um ano bom, daqueles recheados de muitas vitórias e conquistas, você é daqueles que se acomodam e não exigem muito do ano seguinte? Embora talvez até pudesse fazer isso pelo que performou nesta temporada, o goleiro Santos definitivamente não é desses.

O arqueiro da equipe principal do Athletico Paranaense se firmou em 2021 como um dos principais goleiros do país. Campeão olímpico com a Seleção Brasileira. Ídolo, querido e também campeão no clube em que joga. Respeitado até mesmo por torcedores adversários.

Santos teve um ano coroado, como ele mesmo diz. Mas sente que o auge da carreira ainda está por vir. E que esse auge pode vir no clube que o projetou para o futebol. No clube que ele também ajudou a elevar para um nível maior do que aquele que encontrou aqui mais de uma década atrás.

“Fomos coroados com um ano abençoado. Um ano que vai ficar marcado na nossa carreira, na memória do torcedor”, analisa Santos, sobre a temporada de 2021. “Fico feliz em participar. Feliz em fazer parte de tudo isso. E espero que eu possa seguir contribuindo para que o clube continue a crescer”, declara.

Após um ano de 2021 com muitas histórias para contar, o goleiro Santos e os demais atletas do elenco principal rubro-negro estão em período de férias. O retorno para os trabalhos de pré-temporada está previsto para 15 de janeiro, no CAT Caju.

Como se chega a um ano vitorioso?

Primeiro, é preciso trabalhar bastante. E Santos fez isso. Tanto aqui no Athletico Paranaense quanto na Seleção Brasileira. Disputou 55 jogos nas competições e amistosos válidos pela temporada de 2021. Deste total, 48 foram com o Rubro-Negro. Outros sete com a Seleção Brasileira Olímpica. Quase 5.200 minutos em campo.

Terminou 19 jogos (34,5% do total das partidas que fez) sem saber o que é sofrer gols. Um índice bem alto, que o coloca no TOP10 dentre os goleiros da divisão de elite do Brasil em 2021. Precisou ficar atento a mais de 200 tentativas de gol dos adversários, o que exigiu do nosso camisa 1 mais de 150 intervenções diretas para evitá-los. Foi bem ao fazer o time sair para o jogo, com reposições de bola com uma assertividade superior a 84%.

Santos também foi decisivo em uma de suas especialidades, as cobranças de pênaltis. Já são 16 defendidos na carreira. Em 2021, foi a vez de pegar a cobrança do mexicano Eduardo Aguirre. Assim ajudou o Brasil e se classificar para a final dos Jogos Olímpicos. Pegou a tentativa do uruguaio Pablo Ceppelini, que valeu ao Furacão a tranquilidade necessária para eliminar o Peñarol na semifinal da CONMEBOL Sul-Americana.

“Foram muitos jogos no ano. Um ano bastante corrido”, analisa Santos. “Não fico com a lembrança de uma defesa em especial, mas sim de partidas difíceis e importantes. O jogo com a Seleção Brasileira Olímpica contra o México mesmo foi algo que ficou bastante marcado para mim. Também fizemos jogos difíceis aqui no Athletico, como quando enfrentamos a LDU e o Peñarol na Copa Sul-Americana”, relembra.

“Mas para mim, realmente foi um ano especial”, continua o camisa 1 do Furacão. “Graças a Deus, fui abençoado. Pude ajudar meus companheiros de Seleção a conquistar essa medalha de ouro dos Jogos Olímpicos. E aqui no Athletico, a garra do nosso grupo fez a diferença para que pudéssemos fazer um grande trabalho e sermos coroados com as conquistas que tivemos”, acrescenta.

O pensamento continua para 2022

Santos tem 31 anos de idade. Conhece bem o Athletico Paranaense. Aos 17 anos, chegou ao CAT do Caju para fazer parte das equipes de formação e iniciar a história dele no Furacão. Estreou no time principal em 2011. Desde então, já são sete títulos como atleta profissional. Acompanhou e viveu todo o crescimento do Rubro-Negro, que ano após ano se consolida como um dos principais clubes do Brasil e do continente.

Parar e estacionar por aqui não faz parte dos planos. É por isso que o goleiro já logo deixa de lado a conversa sobre os festejos e as conquistas de 2021 para já encarar o que 2022 reserva pela frente. A única certeza é a de que a temporada que vem será novamente daquelas, que vai exigir muito de um grupo que tem metas ainda mais ousadas.

“Meu sentimento é de muito orgulho em ver o crescimento do clube”, contempla Santos. “Espero que o clube possa crescer cada vez mais. E enquanto eu estiver aqui, quero fazer o meu melhor para o clube crescer o máximo possível. O ano de 2022 está aí e temos que encará-lo com toda a seriedade. O clube tem um projeto muito ambicioso. E espero que os objetivos do clube possam ser alcançados”, completa.

Veja o vídeo :

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias